PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

  Livro “Sefaz: Tributo à História”

 

O livro “Sefaz: Tributo à História”, de autoria da historiadora Walda Weyne e do servidor fazendário Márcio Amorim, conta a trajetória da Secretaria da Fazenda do Ceará desde 1836, ano em que foi criada. A publicação traz também informações sobre a origem e a evolução dos tributos, partindo da antiguidade até a era moderna.

 

A obra foi lançada em 2006, em comemoração aos 170 anos da Sefaz. Nas primeiras páginas, os autores falam sobre o surgimento dos tributos e sobre como essas contribuições influenciaram o desenvolvimento econômico e social das civilizações. “Em um determinado período da história, o ser humano buscou organizar-se socialmente em comunidades que foram se hierarquizando para atender diferentes interesses, que iam desde as necessidades básicas de defesa, alimentação e abrigo”, diz o texto.

 

A edição retrata também a história da tributação no Brasil, desde a chegada de Pedro Álvares Cabral em 1500, passando pela fase imperial e o Estado Novo (1937-1945), até chegar a Constituição Federal de 1988. O autor Márcio Amorim chama a atenção para as mudanças no ordenamento jurídico do Império que deram uma maior autonomia para as províncias. “O Ato Adicional de 1834 alterou a Constituição de 1824, autorizando as províncias a legislar sobre a arrecadação de tributos e fixação de despesas. A medida criou condições para surgir, dois anos depois, a Thesouraria Provincial, futura Sefaz”, frisa.

 

Nos últimos capítulos, a narrativa se concentra na organização da estrutura tributária no Ceará. Amorim e Weyne relatam as transformações ocorridas na Secretaria da Fazenda desde sua fundação. Eles destacam a criação da Thesouraria Provincial (1836), das Coletorias (1842) no interior do Estado e dos Postos Fiscais (1924) nas divisas com outras unidades da Federação. Outro fato importante mencionado no livro foi a construção do edifício-sede em 1927. Chamado de Palácio da Fazenda, o prédio foi o primeiro projeto arquitetônico a usar concreto armado no Estado.

 

Leia o livro clicando aqui.

 

 

 

 

 

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Galeria dos Secretários

 

JOÃO CORDEIRO (1889 – 1890)

Nasceu em Sant’Anna, a 31 de agosto de 1842. Filho de João Cordeiro da Costa e Floriana Angélica da Vera Cruz.

 

Aderiu ao Movimento Abolicionista, tendo sido membro fundador e primeiro presidente da Sociedade Cearense Libertadora.

 

Com a transição republicana no Ceará, lutando nas hostes liberais, ao lado de Rodrigues Júnior, Senador Paula Pessoa, José Pompeu, dentre outros, constituíram uma “Comissão Executiva” que governou o Estado, cujo 1ºº mandatário foi o Cel. Luiz A. Ferraz.

 

Nesse período até 4 de abril de 1891 João Cordeiro comandou os destinos do Estado, deixando o poder com o ato do governo Federal, que lavrara sua demissão e do Major Benjamin Liberato Barroso dos cargos de 1º e 2º Vice-Presidentes. Na fase de transição republicana assumiu a Sefaz com o título de Encarregado dos Negócios da Fazenda.

 

Depois de ter representado o Estado na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, foi indicado para Governador do Acre, não chegando a assumir.

 

———————————————————————————————————————————————————————————————————————-

WALDEMIRO MOREIRA (1890 – 1891) 

Nasceu na cidade de Granja, Ceará, a 9 de junho de 1856. Filho do Major Custódio Joaquim Moreira da Costa e de Eugênia Gomes Moreira.

 

Advogado provisionado com escritório em Fortaleza, exerceu o mandato de Deputado Provincial (1884-1889). Além do exercício do cargo de Secretário dos Negócios da Fazenda em duas gestões (1890-1891 e 1896-1900), foi nomeado Chefe de Polícia do Estado do Ceará (1889).

 

Mordomo e Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza (1890-1906); Inspetor do Tesouro (1890-1891); Presidente da Câmara Municipal de Fortaleza (1896-1902). Em 1902 foi novamente eleito Deputado Estadual e em 1906 Deputado Federal, sendo reeleito em 1909.

 

 

 


 

Imagem em Pesquisa                  GERMANO ANTÔNIO MACHADO (1891) 

Biografia em Pesquisa.

 


 

MIGUEL FERREIRA DE MELO (1892 – 1896)

Nasceu a 4 de janeiro de 1845, no sítio “Salgadinho”, entre Olinda e Recife. Filho de Francisco Ferreira de Melo e Matilde Francisca de Melo.

Veio para o Ceará como Oficial de Gabinete do Presidente da Província, Dr. Francisco Teixeira de Sá. Foi Diretor Geral dos Negócios do Interior, acumulando a Secretaria dos Negócios

da Fazenda, quando do falecimento de Viriato Ribeiro, desempenhando sempre o papel de mentor na coisa pública. Desempenhou por vinte e duas vezes cargos de Secretário, privado

de Estado.

De têmpera austera, guardião dos interesses financeiros do Estado, Miguel Ferreira de Melo foi ardoroso defensor da ética política.

 

 

 

 


 

WALDEMIRO MOREIRA (1896 – 1900) 

Nasceu na cidade de Granja, Ceará, a 9 de junho de 1856. Filho do Major Custódio Joaquim Moreira da Costa e de Eugênia Gomes Moreira.

 

Advogado provisionado com escritório em Fortaleza, exerceu o mandato de Deputado Provincial (1884-1889). Além do exercício do cargo de Secretário dos Negócios da Fazenda em duas gestões (1890-1891 e 1896-1900), foi nomeado Chefe de Polícia do Estado do Ceará (1889).

 

Mordomo e Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza (1890-1906); Inspetor do Tesouro (1890-1891); Presidente da Câmara Municipal de Fortaleza (1896-1902). Em 1902 foi novamente eleito Deputado Estadual e em 1906 Deputado Federal, sendo reeleito em 1909.

 

 

 


 

RAIMUNDO VIRIATO RIBEIRO (1900 – 1903)

Nasceu nas plagas cearenses em abril de 1855. Filho do Capitão José Máximo Ribeiro e Raimunda Cândida Saraiva.

 

Casou-se com D. Josefa Carvalhedo, filha de Raimundo Felizardo Carvalhedo e Josefa Cavalcante.

 

Era primo legítimo dos ilustres baturiteenses: Desembargador João Firmino Dantas Ribeiro, membro do Superior Tribunal de Justiça, que o presidiu quando do seu cinqüentenário (1924), tendo também exercido as funções de Secretário de Estado; Dr. Raimundo Francisco Ribeiro, foi advogado, Juiz de Direito e Professor da Faculdade de Direito; Luiz Severiano Ribeiro, nas ações empresariais, destacou-se como “o rei do cinema”.

 

Na transição do século XIX e XX, Viriato Ribeiro administrou com firmeza os Negócios Fazendários.


 

MAURÍCIO GRACO CARDOSO (1904 – 1905)

Nasceu em Sergipe, na cidade de Estância, a 9 de agosto de 1874. Filho do professor Brício Maurício de Azevedo Cardoso e Mirena Cardoso.

 

Terminou os estudos preparatórios na Escola Militar do Rio de Janeiro. Iniciou os estudos superiores em 1899 na Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, transferindo-se para o Ceará onde

bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais, em 1907. Dedicou-se ao jornalismo, sendo redator do jornal acciolino “A República”. Professor Catedrático de História do Brasil, no Liceu,

substituiu interinamente o professor Artur Augusto Borges. Lecionou Direito Constitucional na Faculdade de Direito. Nomeado Secretário da Fazenda em 1904, deixou o cargo em 1905 para

se candidatar a Deputado Federal, representando o Ceará na Câmara de 1906 a 1911. Eleito 1o Vice-Presidente do Estado do Ceará (1908-1912). Eleito Deputado Federal por Sergipe, em

1922, e Senador por esse Estado. Presidente do Estado de Sergipe entre 1922 e 1926. Deputado Constituinte em 1946. Ao Município de Graccho Cardoso, distante 118 km de Aracaju, foi

dado seu nome em homenagem por ser considerado um dos maiores governantes daquele Estado.

Publicações:

Comentários ao Código de Comércio e ao Código Penal

Elogio de Castro Menezes – Homenagem ao Ministro da Agricultura Simões Lopes

Contos Fantásticos (1891)


 

EDUARDO THOMÉ DE SABOYA (1906 – 1908)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 01 de maio de 1876. Filho de José Thomé da Silva e Anna Figueira de Saboya e Silva.

Fez os estudos preparatórios no Liceu do Ceará, seguindo para o Rio de Janeiro em 1894.

Dedicou-se ao jornalismo estreando na imprensa diária como auxiliar de José do Patrocínio na Cidade do Rio. Foi redator do Debate (1897-1998), diretor do Correio de Notícias, da Bahia

(1899-1900), e fundador d’O Commércio (RJ), mantendo por um ano esse periódico com Domingos Olympio, Frota Pessoa, Antônio Salles, dentre outros.

Concluiu na cidade de Salvador o curso de Direito, sendo nomeado Oficial de Gabinete do governador da Bahia, Dr. Severino Vieira.

Transferindo-se para o Ceará assumiu a cadeira de Direito Criminal da Faculdade de Direito do Estado, na condição de Lente Catedrático. Escolhido para o cargo de Secretário da

Fazenda no governo do Dr. Nogueira Accioly, acumulou esta função com a de Secretário Interino da Justiça.

Publicou:
“Contos do Ceará”, com introdução de Antônio Sales.
“Relatório da Secretaria da Fazenda ao Presidente do Ceará” (1906).

 


RAYMUNDO LEOPOLDO COELHO DE ARRUDA (1908 – 1912)

Nasceu em Sobral, Ceará, a 2 de Novembro de 1863. Filho de Vicente Ferreira de Arruda e de
Guilhermina Gomes Coelho de Arruda.
Estudou no Liceu do Ceará, seguindo depois para a Bahia onde concluiu o curso de Farmácia,
em 1884. De volta ao Ceará, dedicou-se ao Magistério, sendo nomeado professor de Português
do Liceu, em 1888, e posteriormente de Latim, Geografia e Literatura. Militando na política foi
Deputado em várias legislaturas. Foi autor do Projeto de Lei n° 6, de 7 de julho de 1897, criando
a Faculdade Livre de Direito do Ceará. Além disso, colou grau como Bacharel em Ciências
Jurídicas e Sociais, em 1907.
Fundou, juntamente com outros intelectuais, a Academia Cearense de Letras.
Demais cargos que exerceu:
• Membro do Conselho de Instrução Pública do Ceará;
• Presidente da Associação dos Servidores Públicos do Estado;
• Professor Catedrático e um dos fundadores da Faculdade de Farmácia e Odontologia do
Ceará, onde foi Diretor durante três gestões (1918/1920, 1931/1933 e em 1934).
Escreveu vários trabalhos, dentre estes: “Discursos” e “Medicina e Farmácia”- publicada em
1922, no Almanaque do Ceará.

 


 

JOAQUIM COSTA SOUSA (1912 – 1914)

Nasceu em Acaraú, Ceará, onde freqüentou a escola primária. Empregou-se no comércio aos 14 anos, vindo para Fortaleza onde conseguiu trabalhar como balconista
e auxiliar de escritório na firma Gradvohl Frères. Ouvindo constantemente os patrões
falarem o idioma Francês, aprendeu com um professor que lecionava das 21
às 22 horas, iniciando o aprendizado de Inglês com o negociante português Joaquim
Manuel Simões. Aprendeu, ainda, o Alemão e o Italiano. Prosperando no comércio,
deixou a firma Gradvohl, abrindo com um irmão um estabelecimento importador

 

 

 

 


HERMÍNIO BARROSO (1914 – 1915)

Nasceu em Canindé, Ceará, a 15 de agosto de 1867. Filho do Coronel Paulino Joaquim Barroso e Francisca Carolina Barroso.

Depois de longo período na Europa, onde concluiu sua educação, concorreu à Cadeira de Alemão do Liceu do Ceará, sendo escolhido com a tese: Vocalismo e Consonantismo: “acentuação e quantidade sob o ponto de vista histórico”, in 8º de 93 pp., impressa na litografia Cearense, rua Formosa, nº 66 e 68, Fortaleza, 1896.

Recebeu o Diploma de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais em 1907 pela Faculdade de Direito do Ceará.

Pai do ex-Governador do Estado Parsifal Barroso.

 

 

 


 

EDGAR AUGUSTO BORGES (1915 – 1916)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 15 de Setembro de 1885.

Filho de Artur Augusto Borges e Marieta Borges. Formado pela Faculdade de Direito do Ceará em 1908, dedicou-se à política, sendo
um dos chefes do Partido Republicano Conservador – PRC. Foi Diretor-Proprietário do jornal “Diário do Estado” (1914).

No governo do Coronel Benjamin Liberato Barroso foi Secretário da Fazenda, cargo que exerceu de 31 de outubro de 1914 a 30 de Junho de 1916.

Proprietário da Agência de Loterias Federais, foi também Diretor do Clube Iracema. 2º Vice-Presidente da Assembléia em 1929.

Foi das mais destacadas a sua atuação na política do Estado sendo fiel aos princípios programáticos
do PRC.

 


 

ANTÔNIO FIÚZA PEQUENO (1916 – 1920)

Nasceu na cidade de Icó, Ceará, a 11 de outubro de 1875. Filho de Felismino Fiúza Lima e
Maria Cândida Fiúza Pequeno.
Iniciou sua carreira como caixeiro do português João Veloso, passando depois à casa de J. Bruno
Filho & Cia. Nomeado Contador do Banco de Pernambuco, filial do Ceará, saiu para abrir
escritório de representações e comissões, em 1903, de importantes casas européias. Eleito
Vice-Presidente da Associação Comercial, em função de Presidente, idealizando a construção
do Palácio do Comércio. 2º Presidente da Federação das Associações do Comércio e Indústria do
Ceará. Presidente efetivo da Associação Comercial, representou essas entidades conservadoras
em diversos congressos, a exemplo da reunião do comércio em Teresópolis, onde apresentou
uma tese sobre a Rede de Viação Cearense.

 

 


 

MANUEL THEÓFILO GASPAR DE OLIVEIRA (1920 – 1924)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 31 de maio de 1885. Filho do Coronel Manuel Theóphilo Gaspar de Oliveira e de Maria da Justa Theóphilo.

Concluiu o curso de Medicina em 1907. Participou da Campanha de Profilaxia à Febre Amarela
chefiada por Oswaldo Cruz. Foi eleito Deputado Estadual no Ceará pelo Partido Conservador,
fazendo parte das Comissões de Instrução e Saúde Pública, da Força Pública e também da Comissão
de Fazenda e Orçamento.
Em 1920 assume a pasta da Fazenda, iniciando completa reorganização dos Serviços de Fiscalização
e Arrecadação, instituindo o Imposto de Consumo. Em 08 de julho de 1924 lançou a
pedra fundamental para construção do prédio que viria ser a atual Sede I da SEFAZ.
Médico do Exército, foi Sócio Fundador e Secretário Geral do Centro Médico Cearense.

 

 


LUIZ DE MORAES CORREIA (1924 – 1928)

Nasceu na localidade litorânea de Amarração, província do Piauí, em 23 de dezembro de 1881. Filho
de Francisco Severiano de Moraes Correia e Maria Cleofas de Moraes Correia.
Formou-se pela Faculdade de Direito do Ceará, onde exerceu o magistério na Cátedra de Direito
Civil. Notabilizou-se pela sua destacada atuação como Juiz Federal, onde suas decisões eram
sempre acatadas pelo Supremo Tribunal. Também destacou-se como sociólogo e escritor. Durante
sua administração como Secretário dos Negócios da Fazenda ocorreu a inauguração da
atual Sede I da SEFAZ, em 27 de novembro de 1927. Na década de 30 o Município piauiense de
Amarração, localizado no delta do rio Parnaíba, teve sua denominação alterada para Luiz Correia
em homenagem ao filho ilustre.
Demais cargos que exerceu:
•Promotor Público em Teresina e Parnaíba;
•Secretário de Polícia e Procurador Fiscal no Estado do Piauí;
Publicações:
• No campo jurídico publicou: “O Habeas –Corpus e os Interditos”;
• “O Estado e o Funcionário”;
• “O Estado e a Obrigação de Indenizar”;
• “O Crime e a Pena”;
• “O Divórcio”, dentre outros.

 


 

JOSÉ DE PONTES MEDEIROS (1928 – 1930)

Nasceu em Baturité, Ceará, a 4 de setembro de 1880. Filho de João de Pontes Medeiros e Maria
Amélia Pontes Medeiros. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito do Ceará e com estudos
no campo da engenharia, o Dr. José de Pontes Medeiros administrou a empresa telefônica, adquirida
por seu pai em 1904, quando deu continuidade aos serviços até 1934, posteriormente
encampado pelo Estado.
Possuidor de grande capacidade conciliatória, transitou por diferentes grupos políticos. Foi
amigo de Demócrito Rocha, fundador do Jornal “O Povo”, e de Antônio Drumond, fundadores
e acionistas da Gazeta de Notícias, desfrutando também da amizade e respeito do jornalista e
político João Brígido dos Santos, ferrenho opositor da oligarquia Accioly. Secretário da Fazenda
no governo do Dr. José Carlos de Matos Peixoto, exerceu com honestidade e eficiência suas
funções, merecendo do historiador Raimundo Girão elogios pela sua atuação como titular da
SEFAZ – “Pequena História do Ceará”, edições UFC.
Comentava-se à época que até os pedidos do Dr. Peixoto, eram indeferidos, caso fossem considerados
indevidos pelo Secretário.

 


 

JOÃO DA SILVA LEAL (1930 – 1931)

Nasceu em Jucás, Ceará, a 10 de setembro de 1879. Filho do Cel. Manuel da Silva Costa Leal e
de Delfina Carlota Pereira da Silva Leal.
Iniciou seus estudos no Liceu do Ceará, em 1897, onde concluiu o curso secundário. Ingressou
em 1898 na Escola Militar do Realengo, da Praia Vermelha, saindo Aspirante a Oficial em
1906. Em 1921 foi reformado no posto de Major, por ter optado pelo Magistério Militar, tendo
sido transferido para o Colégio Militar do Ceará.
Em 1927 foi eleito Deputado para a Assembléia Legislativa do Estado do Ceará.
Desempenhou importante papel na Revolução de 1930. Reunindo destacados militares e civis,
organizados em grupos de resistência, partiu da cidade de Souza, na Paraíba, e entrou em
Lavras, em outubro de 1930, fazendo com que o Presidente do Ceará, Dr. Matos Peixoto, abandonasse
o governo no dia 8 do mesmo mês e ano.
Ocupou a pasta da Fazenda na Interventoria do Dr. Fernandes Távora. Exerceu as funções de Interventor
Federal Interino no período de 22 de junho a 22 de setembro de 1931.
Fundador e Membro do Diretório executivo do PSD do Ceará, foi, por esse Partido, eleito como
Deputado para a Assembléia Constituinte de 1934.
Por Decreto de 26 de junho de 1951 o Presidente da República houve por bem distinguir o Coronel
reformado e professor João da Silva Leal com o posto de General de Brigada.

 


ANTÔNIO MENDES (1931 – 1932)

Nasceu no lugar denominado “Sorôrô”, em Itapipoca-Ceará, a 19 de outubro de 1893. Filho de
Joaquim Mendes dos Santos e Maria Evelina dos Santos.
Aos quatorze (14) anos ingressou no serviço público estadual, dando início a uma longa carreira
de funcionário dedicado e competente.
No Setor fazendário, ascendeu dos mais modestos aos mais elevados postos da carreira, dentre
os quais os de Diretor – Geral do Estado e Diretor – Geral do Tesouro. Na qualidade de imediato
do Secretário da Fazenda, coube-lhe substituir o titular da pasta em várias oportunidades. Em
1924, na gestão do Dr. Manoel Teófilo Gaspar de Oliveira, na administração Ildefonso Albano,
Luiz Morais Correia, Des. Moreira da Rocha, João da Silva Leal, assim como, na Interventoria
do Dr. Fernandes Távora e Cap. Carneiro de Mendonça.
Vereador da Câmara Municipal de Fortaleza (1936-1937), exerceu a Presidência dessa casa.
Novamente eleito para a Legislatura de 1951-1955, Foi reconduzido ao cargo de Presidente.
Foi Prefeito de Fortaleza no período de 30 de julho a 30 de agosot e de 14 de novembro a 7 de
dezembro de 1952. Também exerceu a Presidência do Centro dos Retalhistas de Fortaleza.

 


 

OLÍMPIO BARRETO (1932 – 1933)

Nasceu na cidade do Rio de Janeiro.
Cursou a faculdade de Direito.
Foi nomeado Secretário da Fazenda do Estado do Ceará, a convite do Interventor Federal no
Ceará Roberto Carneiro de Mendonça.
Exerceu suas funções procurando normalizar a situação do Tesouro Estadual, depois do que
solicitou sua exoneração, retornando ao Rio de Janeiro para reassumir suas altas funções no
Tesouro Nacional.

 


MANUEL TIBÚRCIO CAVALCANTE (1933 – 1934)

Nasceu em Morada Nova (Fazenda Paraíso), Ceará, a 24 de dezembro de 1882. Filho do Capitão Tibúrcio de Moura Cavalcante e Domitilia Pessoa Cavalcante.

Militar e homem público, em 1912, como 2o Tenente, concluiu o curso de Engenharia, ascendendo na hierarquia militar até Coronel, em 1938.

Durante 12 anos, sob a Chefia do General Rondon (Comissão Rondon), esteve na Floresta Amazônica. Por ato do Capitão Roberto Carneiro de Mendonça, interventor do Ceará de 19 de outubro de 1931, foi nomeado Prefeito Municipal de Fortaleza, cargo que deixou para assumir a Secretaria dos Negócios da Fazenda.

 

 

 

 


 

 

FRANKLIN MONTEIRO GONDIM (1934 – 1935)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 11 de dezembro de 1894. Filho de Afrodízio Grangeiro Gondim
e Clara Monteiro Gondim.
Foi aluno do Colégio Nogueira e da Escola de Comércio Fênix Caixeiral, em Fortaleza.
Comerciante, fundou a Firma C. N. Pamplona & Cia., como representante exclusivo da Fábrica
Willys – Overland e da Motores Deutz, para o Ceará e Piauí.
Da sociedade com seu cunhado Carlito Narbal Pamplona, nasceu a indústria da oiticica, fator
de riqueza para o Ceará. Fazendeiro em Icó, possuía duas grandes propriedades, “Fazenda
Viração” e “Fazenda Cachoeira”.
A Firma C. N. Pamplona & Cia. adquiriu na Alemanha a primeira fábrica, tipo hidráulica, inaugurada
em 3 de agosto de 1927, “Fábrica Miriam”, na Praça Almirante Saldanha. Pioneiro da
indústria da oiticica, fundou em 1934 a Brasil Oiticica SA., encampando a C. N. Pamplona &
Cia., com todo o seu acervo e responsabilidade.
A convite do Interventor Cel. Felipe Moreira Lima, ocupou o cargo de Secretário da Fazenda,
Interior e Justiça. Entre os dias 10 e 25 de maio de 1935 foi Interventor Federal no Ceará.
Em 1944 recebeu o Certificado de Coordenador do Comitê do Brasil, assinado por Nelson Rockfeller,
em razão dos bons serviços prestados durante a II Guerra Mundial.
Publicou:
• “Síntese Histórica da Industrialização das Sementes de Oiticica, Bagas de Mamona e
Castanhas de Caju – Como nos fizemos Pioneiros”, na Revista de Academia Cearense de
Letras, no 38, 1977.

 


RUY DE ALMEIDA MONTE (1935 – 1936)

Nasceu em Sobral, Ceará, a 21 de outubro de 1884. Filho do Farmacêutico João Francisco do Monte e Benvinda de Almeida Monte.

Ingressou na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em abril de 1905.
Clinicou em Sobral na Santa Casa de Misericórdia e no Instituto de Proteção e Assistência à
Infância em Fortaleza.
Empolgou-se pela política engajando-se no movimento de apoio à candidatura Franco Rabelo,
sendo eleito Deputado. Na Assembléia foi Secretário e Membro das Comissões de Finanças e
Saúde. Em 1918 o Presidente João Thomé de Sabóia comissionou-o para organizar e instalar
o Curso Secundário de Sobral, do qual foi Diretor e Professor de Geometria e Inglês. Eleito novamente
para Assembléia em 1934, pela LEC (Liga Eleitoral Católica).
Demais cargos que exerceu:
• Secretário de Polícia e Segurança Pública de 1942 – 1945;
• Secretário de Agricultura por duas vezes.

 


PLÁCIDO ADERALDO CASTELO (1936 – 1938)

Nasceu em Mombaça, Ceará, a 11 de Janeiro de 1906. Filho de João Fernandes Castelo
e Antonina Aderaldo Castelo.
Graduado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito do Ceará, em 1930.
Exerceu a carreira jornalística nos jornais Correio do Ceará, Gazeta de Notícias, e O
Nordeste.
Desenvolveu atividades Docentes como professor do colégio Cearense, da Escola de
Comércio Fênix Caixeiral. Livre docente da cadeira de Instituições de Direito Público
da Faculdade de Ciências Econômicos da UFC e catedrático de História Administrativa
do Ceará e do Brasil, na Escola de Administração Pública.
Exerceu a Judicatura e a Promotoria de Justiça das Comarcas de Quixadá e Fortaleza.
Conselheiro Vitalício do Tribunal de Contas do Estado e Procurador Judicial do Estado
do Ceará.
Deputado Constituinte em 1935, elegeu-se Deputado Estadual para os mandatos de
1951 (suplência), 1955, 1959 (suplência), e 1963.
Ocupou ainda o cargo de Secretário de Agricultura e Obras Públicas.
Fundou e exerceu a Presidência do Instituto de Previdência do Estado do Ceará – IPEC.
Foi Prefeito de Fortaleza em 1945. Governador do Estado do Ceará no período de 1966 a 1970.
Quando Governador realizou as seguintes obras:
• Construção do Estádio do Castelão; do Instituto Penal Paulo Sarasate; da “Estrada do
Algodão”; da Estrada Litorânea e da Estrada que liga o Cariri a BR-116;
• Criação do Instituto de Prevenção do Câncer; do Hospital São José; do Museu de Aquiraz;
da Estação Rodoviária; da Escola Agrícola de Mombaça;
• Ampliação do sistema de energia elétrica do Estado; da rede de agências do BEC; do
sistema de telecomunicações e da rede escolar estadual.
Membro da Academia Brasileira de Letras, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e do
Instituto do Ceará.
Agraciado com o título de Cidadão de vários municípios do Ceará, Cidadão Honorário de New
Orleans e com o troféu Sereia de Ouro.
Publicações:
• “Rápidos Traços Sobre o Trabalho e a Educação do Sertanejo”;
• “Açudagem, Irrigação e Outras Obras Contras as Secas”;
• “Metodologia do Ensino da História Pátria”.

 


JOSÉ MARTINS RODRIGUES (1939 – 1944)

Nasceu em Quixadá, Ceará, a 2 de setembro de 1901. Filho de Martinho Rodrigues Sobrinho e Isabel de Almeida Rodrigues.

Professor Catedrático de Direito Civil da Faculdade de Direito do Ceará. Jornalista dos mais atuantes, fundou “O Estado”, colaborando também no “Correio do Ceará” e no “O Nordeste”. Membro do Conselho Federal de Educação. Consultor Jurídico do
Conselho Nacional de Águas e Energia Elétrica.

Como Deputado Estadual foi líder da maioria no governo Matos Peixoto. Deputado Federal,
exerceu a liderança do PSD na Câmara dos Deputados, onde foi membro das Comissões de
Orçamento e de Constituição e Justiça.

Exerceu, ainda, os cargos de Secretário do Interior e Justiça, Secretário da Agricultura e Membro
do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.
Foi fundador do MDB – Movimento Democrático Brasileiro, no Ceará e em nível nacional.
Trabalhos Publicados:
• “Ensaios Jurídicos” na Revista Forense e na Revista de Direito Administrativo;
• Efeitos jurídicos do silêncio;
• Trabalhos literários e discurso parlamentares sobre temas de direito e de política.

 


 

ÁLVARO NUNES WEYNE (1944 – 1945)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 11 de novembro de 1881.

Filho do Tenente-Coronel Alfredo da Costa Weyne e Antônia Nunes de Melo Weyne.

Estudou no Ginásio Cearense e no Instituto de Humanidades. Membro diligente da Maçonaria,
foi Grão-Mestre da Grande Loja do Ceará no período de 1928/1932. Fundador do Centro Espírita
Cearense (19.06.1910), presidiu também em 1934 o Asilo de Mendicidade.
Como homem público assumiu a Prefeitura nos mandatos de 1928/1930 e 1935/1936, destacando-
se no seu esforço para arborizar Fortaleza. Na década de quarenta (1944/1945) assumiu
a Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará, no governo Menezes Pimentel, fazendo uma
profícua administração.

 

 


 

JÚLIO DE MATOS IBIAPINA (1945)

Nasceu a 22 de setembro de 1890, em Aquiraz, Ceará.

Filho de Francisco Ibiapina Rodrigues d’Oliveira e de Ana de Matos Ibiapina d’Oliveira. Seu pai foi chefe político de Aquiraz.

Especializou-se em línguas na Europa. Foi Professor Catedrático de inglês do Colégio Militar de Fortaleza, Porto Alegre e Distrito Federal.

Foi Deputado Estadual no Ceará, bem como ornalista e fundador do jornal “O Ceará”, onde aescritora Rachel de Queiroz se iniciou.

Publicações:

• “From Facts to Grammar”, “Lecture Expliquée”, “English Easily Mastered” – Construção
Alemã: tese de concurso aprovada pela congregação do Colégio Militar do Rio de Janeiro
em 1931;
• Brasil de Ontem e de Hoje – livro político;
• Minha Luta – tradução da vida de Adolph Hitler.

 


 

ACRÍSIO MOREIRA DA ROCHA (1946 – 1947)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 25 de setembro de 1907.

Filho do Deputado Federal Manuel Moreira da Rocha, Rabelista e fundador do Partido Democrata e de Amália Moreira da Rocha.

Seu pai, o Deputado Moreira da Rocha, também apelidado de “Manuel Onça”, era médico, diplomado pela Faculdade de Medicina da Bahia.

Iniciou seus estudos no Colégio Castelo Branco e no Colégio Militar do Ceará. Formou-se em Odontologia pela Faculdade do Rio de Janeiro.

Nomeado em 1946 pelo Presidente José Linhares para o cargo de Interventor Federal do Ceará, em substituição a Beni Carvalho.

Secretário da Fazenda a convite do governador Faustino de Albuquerque, teve a oportunidade de ajustar a máquina arrecadadora e equilibrar o orçamento estadual.
Candidato pelo Partido Republicano-PR a Prefeito de Fortaleza, teve vitória consagradora a 7 de dezembro de 1947. Prefeito por duas vezes era denominado “Prefeito do Povo”.

 


 

LUÍS CAVALCANTE SUCUPIRA (1947)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 11 de maio de 1901. Filho de Carolino Sucupira Sobrinho e Maria Edwirges Cavalcante Sucupira.

Ocupou os cargos de Inspetor da Alfândega de Fortaleza e de Delegado do Tribunal de Contas da União no Ceará, Pernambuco e Alagoas. Jornalista dos mais combativos dirigiu “O Nordeste”, órgão católico.

Membro efetivo do Instituto do Ceará, Academia Cearense de Letras, Academia Brasileira de História. Deputado à Assembléia Nacional Constituinte de 1933 a 1934 e Deputado Federal até 1937.

Exerceu em caráter interino o cargo de Interventor Federal no Ceará. Como Deputado Federal foi autor do Projeto transformado em Lei que instituiu o Dia 7 de Setembro como “Dia da Pátria” (Dec. nº 7, de 20 de novembro de 1934).

Publicou:

• “Equatoriais” (poesia);
• “Programa de Economia Política”;
• “Curso de Ação Católica”.

 


 

FRANCISCO PESSOA DE ARAÚJO (1947 – 1950)

Nasceu em Caucaia, Ceará, a 07 de abril de 1907. Filho de Raimundo Pessoa de Araújo e Júlia Alves Pessoa. Estudou no Colégio Castelo Branco e no Liceu do Ceará, bacharelando-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito do Ceará.

Professor de Técnica Fiscal do Curso de Especialização da Secretaria da Fazenda, posteriormente Curso de Especialização em Contabilidade Pública e Técnica Fiscal.

No serviço público exerceu os cargos:

• Amanuense do Tesouro do Estado, por Concurso Público;
• Diretor da Receita do Estado (1938), promoção por merecimento.

Demais cargos que exerceu:

• Diretor Geral do Tesouro do Estado;
• Administrador da Mesa de Rendas de Sobral (1932);
• Diretor Geral do Departamento do Serviço de Pessoal (1955);
• Assessor Jurídico junto á Secretaria de Administração do Estado (1968/1969);
• Superintendente Administrativo da Fundação Cearense de Meteorologia e Chuvas Artificiais
(1974/1979);
• Secretário de Administração (1955/1956);
• Deputado Federal – Legislaturas – 1951 /1955;
• Secretário da Liga da Defesa Nacional no Ceará.

 


 

JOSÉ CLODOVEU DE ARRUDA COELHO (1950 – 1951)

Nasceu em Sobral, Ceará, a 15 de setembro de 1884. Filho de Esmirino do Monte Coelho e Edelvina de Arruda Coelho.
Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito do Ceará, em 1908.

Nomeado Promotor de Justiça de Sobral, ascendeu ao cargo de Juiz Municipal de Sobral, onde exerceu suas funções até
1937.

Deputado Estadual em 1946, sendo convocado no governo Faustino de Albuquerque para assumir o cargo de Secretário do Interior e Justiça no período de 1946-1950.

No exercício do cargo de Secretário, ocupou diversas pastas, dentro as quais a da Fazenda.

 

 

 


 

CARLOS BARBOSA (1951 – 1954)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 5 de fevereiro de 1910. Filho de Martiniano Barbosa e Altina de Souza Barbosa.

Diplomado como Guarda-Livros pela Escola de Comércio Fênix Caixeiral de Fortaleza.

Nomeado Contador-Adjunto da Diretoria do Imposto de Renda do Recife em 1934.

Em 1936 exerceu a mesma função na Delegacia Regional de Salvador. Designado em 1938
para Chefe de Seção da Delegacia de Imposto de Renda do Ceará.

Em 1942 assumiu o cargo de Delegado Regional do Imposto de Renda em Belém. Transferido em 1943 para a Delegacia do
Imposto de Renda em São Paulo.
Nomeado em 1944 Delegado Regional em Fortaleza. Transferiu-se para o Rio de Janeiro em
1954 como Agente-Fiscal do Imposto de Renda do Ministério da Fazenda.

 

 


 

ARI DE SÁ CAVALCANTE (1954 – 1955)

Nasceu na cidade de Jucás, Ceará, a 26 de agosto de 1918. Filho de João de Sá Cavalcante, Coletor Estadual, e Raimunda Rabelo de Sá Cavalcante.

Bacharelou-se pela Faculdade de Direito do Ceará em dezembro de 1939. Ainda estudante universitário foi Professor de Matemática e Português em diversos colégios de Fortaleza. Ensinou nos Cursos da Campanha de Aperfeiçoamento do Ensino Secundário no período de 1959 a 1962, em Fortaleza, Maceió, Curitiba e Belo Horizonte.

Em 1944, por meio de concurso público, ingressou no Magistério Militar como Professor de Matemática da Escola Preparatória
de Cadetes de Fortaleza (atual Colégio Militar). Professor da Faculdade Estadual de Ciências Econômicas, por concurso público.

Em 1961 assumiu o cargo de Diretor. A Faculdade federalizou- se na sua administração, integrando-se à UFC. Implantou em Fortaleza o CAEN – Centro de Aperfeiçoamento de Economistas do Nordeste e o Curso de Pós-Graduação. Secretário, no Ceará, do PSD – Partido Social Democrático.

 


 

ALFREDO BRASIL MONTENEGRO (1955 – 1959)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 05 de junho de 1898. Filho de Cassemiro Ribeiro Montenegro e Maria Emília Ribeiro Montenegro.

Cursou o Colégio Castelo Branco onde concluiu o curso secundário.

Demais cargos que exerceu:

• Assistente de Delegado Fiscal em São Paulo;
• Delegado Fiscal em São Paulo;
• Delegado Fiscal na Paraíba;
• Delegado Fiscal no Ceará, durante 14 anos;
• Delegado do Imposto de Renda no Ceará;
• Guarda Mor da Alfândega no Ceará;
• Inspetor da Alfândega no Ceará;

 


 

RAIMUNDO RENATO DE ALMEIDA BRAGA (1959)

Nasceu no Seringal, Vitória – Cruzeiro do Sul, do antigo Território e atual Estado do Acre. Filho
de Antônio Bruno de Almeida Braga e Maria José Rosas Braga.
Em 1924 matriculou-se na Escola de Agronomia do Ceará, colando grau em 1927 como Engenheiro
Agrônomo. Por ato de 28 de março de 1938, foi nomeado Diretor da Escola de Agronomia,
contando com o apoio decisivo do Dr. Martins Rodrigues, Secretário da Agricultura e Obras
Públicas, para modernização da Escola. Instalou laboratórios e gabinetes de Química, Física,
Mineralogia, Geologia, Zoologia, Botânica e Zootecnia. Oportunizou estágios para os professores
no Sul do País, em estabelecimentos de pesquisa. A convite do Interventor Federal Dr. Pedro
Firmeza, assumiu em 1945 o cargo de Secretário dos Negócios da Agricultura e Obras Públicas,
conservando-se neste até sua desincompatibilização para concorrer às eleições a Constituinte
Estadual.
Em sua gestão como Secretário da Agricultura foi criado o Departamento de Estradas de Rodagem
do Ceará, atual DERT – Departamento de Estradas de Rodagem e Transportes.
Filiado ao antigo PSD (Partido Social Democrático), foi Deputado Estadual em duas legislaturas
(1946 a 1954), participando da elaboração da Constituição Estadual de 1947. Em
abril de 1959, no governo Parsifal Barroso, foi convidado para Secretário da Fazenda, quando
equilibrou as finanças Estaduais. Junto à Universidade Federal do Ceará criou o Instituto de
Zootecnia, objetivando uma política de desenvolvimento da pecuária e das indústrias correlatas.
Esta instituição foi instalada na gestão do magnífico Reitor Antônio Martins Filho, tendo
Renato Braga como seu diretor.
Obras Publicadas:
• “Plantas do Nordeste, Especialmente do Ceará”;
• “História da Comissão de Exploração”;
• “Dicionário Histórico e Geográfico do Ceará”, além de vários trabalhos publicados na
Revista do Instituto do Ceará e na Revista da Academia Cearense de Letras.

 


 

HUGO DE GOUVEIA SOARES PEREIRA (1959 – 1962)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 22 de fevereiro de 1917. Filho de Manoel Soares Pereira e Débora Helena de Gouveia Soares Pereira.

Advogado em Fortaleza e no antigo Distrito Federal (1940/1964).
Demais cargos que exerceu:

• Consultor Jurídico e Procurador do Instituto Nacional do Sal, Rio de Janeiro (1949/1964);
• Deputado à Assembléia Legislativa do Ceará nas Legislaturas de 1955, 1959, 1963;
• Secretário de Educação e Cultura no governo Virgílio Távora (1963/1964);
• Secretário do Interior e Justiça nos governos Adauto Bezerra e Waldemar Alcântara;
• Conselheiro do Tribunal de Contas do Ceará, do qual foi Presidente (1971/1974);
• Conselheiro do Conselho de Educação do Ceará (1987/1993).

 

 


 

MANUEL CARLOS DE GOUVEIA SOARES PEREIRA (1962 – 1963)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 17 de abril de 1923. Filho de Manuel Soares Pereira e Débora de
Gouveia Soares Pereira.
Técnico em Administração, exerceu em 1959/1962 o cargo de Diretor da Fiscalização das Rendas
Estaduais. Foi também Secretário de Saúde do Estado do Ceará, tendo ainda respondido
interinamente pela Secretaria da Educação e Cultura.
• Membro do Conselho Fiscal do Fundo de Desenvolvimento do Ceará – FDC (1966/1971);
• Presidente do Conselho Fiscal do Fundo de Desenvolvimento do Ceará – FDC (1967/1971);
• Membro titular do Conselho Fiscal das Centrais de Abastecimento do Ceará – CEASA
(1971/1975);
• Coordenador da Assessoria Financeira, Econômica e de Planejamento Administrativo da
Secretaria da Fazenda;
• Respondeu interinamente pela Secretaria da Fazenda nos anos: 1971, 1976, 1977, 1978 e
1979, por afastamentos do titular.

 

 


 

EDSON AMÂNCIO RAMALHO (1963 – 1964)

Nasceu na Paraíba, João Pessoa, em 1912.

Ingressou no Exército, devotando a maior parte de sua vida à carreira militar, chegando ao Posto de General.

Foi Secretário de Polícia e da Fazenda na Paraíba, onde também exerceu os cargos de Comandante da Polícia Militar (1956/1957) e Diretor da Companhia de Eletrificação.

Diretor do Banco do Estado da Paraíba.

A convite do Governador Virgílio Távora assumiu no dia 26 de março de 1963 a Pasta da Fazenda no Ceará, reestruturando-a totalmente, resultando no incremento da arrecadação e controle as despesas, estabelecendo as bases para a estabilidade financeira do Ceará.

 

 


 

FRANCISCO DE ASSIS ARAÚJO BEZERRA (1964 – 1966)

Nasceu na cidade de Sapé, Paraíba, em 04 de outubro de 1910. Filho de Sinésio Ribeiro de Araújo Bezerra e Umbelina da Motta Bezerra.

Matriculou-se na Escola Militar de Realengo, em março de 1931. Exerceu vários Comandos, tendo sido Chefe de Infantaria na Escola Militar de Realengo e da Academia Militar de Agulhas Negras.

Participou ativamente da Revolução de 1930, como militar, testemunhando a prisão de Juarez Távora.

Foi transferido para a Reserva do Exército como General.
Criou, organizou e presidiu a Sociedade de Economia Mista Eletro Cariri, na Paraíba. Gerenciou várias Empresas Privadas. Exerceu ainda o cargo de Chefe do Serviço Estadual de Informações no governo César Cals de Oliveira Filho.

Agraciado com várias medalhas, dentre elas:

• Bronze, prata e ouro, de bons serviços de guerra;
• Ordem do Mérito Militar;
• Medalha do pacificador;
• Honra ao Mérito da Receita Federal,
• Mérito Legislativo;
• Do Tricentenário da Restauração Pernambucana.

 


 

LUIZ CRISPIM DE SOUSA (1966 – 1967)

Nasceu na cidade de Umari, Ceará, a 06 de abril de 1927. Filho de Lucas Evangelista de Sousa e Emília Crispim de Sousa.

Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Ceará – UFC, em 1964.

Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Ceará – UFC, em 1980.

Funcionário público estadual da Secretaria da Fazenda.

Demais cargos que exerceu:

• Professor Titular da Universidade Estadual do Ceará – UECE;
• Secretário do Trabalho, no Governo Plácido Castelo;
• Chefe da Casa Civil, no Governo Plácido Castelo.

 

 

 


 

ABIMAEL CLEMENTINO FERREIRA DE CARVALHO (1967 – 1968)

Nasceu em Oeiras, antiga capital do Estado do Piauí, a 19 de dezembro de 1909. Filho de Dagoberto
Ferreira de Carvalho e Eulália Clementino de Sousa Martins.
Escritor, genealogista e militar. Na vida militar serviu nas guarnições do Rio de Janeiro, Campinas,
Estado de São Paulo, Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Recife, Pernambuco e em Fortaleza,
por três períodos, sendo o último de 1957 a 1963, quando passou para a reserva. Pertenceu
ao Instituto Histórico de Oeiras.
Demais cargos que exerceu:
• Diretor da Companhia de Transportes Coletivos de Fortaleza;
• Secretário de Finanças da Prefeitura de Fortaleza;
• Presidente da Companhia de Telecomunicações do Ceará;
• Presidente da Fundação Cearense de Meteorologia e Chuvas Artificiais – FUNCEME.
Agraciado com várias medalhas, dentre elas:
• Medalha de Ouro;
• Medalha de Guerra;
• Medalha do Pacificador e pertenceu á Ordem do Mérito Militar no grau de Cavaleiro;
• Medalha do Mérito Cultural, “Visconde da Parnaíba”.
Dedicou os últimos anos de sua vida na elaboração do livro: “Família Coelho Rodrigues – Passado
e Presente”.

 


 

ELISEU DE SOUSA PEREIRA (1968 – 1969)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 13 de fevereiro de 1915. Filho de Argemiro de Sousa Pereira e
Maria Nunes Pereira.
Diplomado pela Escola de Comércio Fênix Caxeiral em 1933, cursou a Faculdade de Ciências
Econômicas do Ceará, bacharelando-se em 1946. Freqüentou vários cursos e seminários sobre
Comércio Exportador, Legislação Tributária e Contabilidade, dentre outros.
Professor de Contabilidade da Escola Técnica de Comércio Carlos de Carvalho.
Demais cargos que exerceu:
• Presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Ceará – CODEC, transformada
em Banco de Desenvolvimento do Ceará – BANDECE.
• Diretor Técnico e Contador da Organização J. Aquino Alencar Comércio S/A.
• Presidente da União das Classes Produtoras do Ceará
• 1º Vice-Presidente da Federação do Comércio do Estado do Ceará.
• Assessor Técnico da Junta Comercial do Estado do Ceará – JUCEC.
• Assessor Administrativo da Federação das Associações do Comércio, Indústria e
Agropecuária do Ceará – FACIC.

 

 


 

EDILSON MOREIRA DA ROCHA (1969 – 1970)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 15 de agosto de 1925. Filho de Estevão Moreira da Rocha e
Amália Moreira da Rocha.
Estudou no Liceu do Ceará, na Escola Preparatória de Fortaleza e Academia Militar de Agulhas
Negras.
Coronel de Infantaria do Exército Brasileiro, assumiu o Subcomando do CPOR e o Comando do
23º Batalhão de Caçadores (23º BC), entrando para a Reserva em 1965 como Coronel.
Demais cargos que exerceu:
• Secretário de Polícia do Estado do Ceará (1967/1968);
• Coordenador Regional do INCRA, abrangendo Ceará, Piauí e Maranhão (1974/1975);
• Secretário de Segurança Pública do Estado do Ceará (1975/1979);
• Presidente do Conselho Estadual de Trânsito – CETRAN (1977/1979);
• Diretor de Suprimento da COELCE (1979/1983);
• Diretor Presidente da CEPESCA

 

 

 


CLÁUDIO MARTINS  (1970 – 1971)

Nasceu em Barbalha, Ceará. Filho de Antônio Martins de Jesus e de Antônia Leite Martins.
Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do
Ceará. Doutor em Ciências Econômicas pela UFC. Professor de Direito Notarial do Curso de Direito
da UFC. Professor de Técnica Fiscal do curso de Especialização em Contabilidade Pública
e Técnica Fiscal, mantido pelo Estado.
Demais cargos que exerceu:
• Secretário de Estado dos Negócios do Governo e Administração (Governo Flávio Marcílio, 1957);
• Secretário de Educação e Saúde (Governo Flávio Marcílio);
• Presidente do Conselho de Educação do Ceará;
• Presidente da Academia Cearense de Letras;
Agraciado com as seguintes medalhas:
• Medalha Clóvis Beviláqua (Governo Federal);
• Medalha Thomaz Pompeu (ouro), Academia Cearense de Letras.
• Medalha Barão de Studart (Instituto do Ceará);
• Placa Senador Pompeu (prata e ouro), outorgada pela Secretaria da Cultura e Instituto Lusíadas
(CE) por serviços relevantes no ano de Alencar.
Publicações:
• Introdução do estudo das Finanças Públicas. Fortaleza, Imprensa Universidade do Ceará,
1970 (prêmio Clóvis Beviláqua);
• Poemas – Fortaleza, Edições Clã, 1962;
• 30 poemas para ajudar Fortaleza, Imprensa Universitária, 1969;
• O Problema Educacional Brasileiro – Fortaleza, Imprensa Universitária, 1973;
• Fazenda Nacional – Fortaleza, Ed. Fortaleza, 1942.

 


 

JOSÉ MAURO CASTELO BRANCO SAMPAIO (1971)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 10 de julho de 1927. Filho de Leão Sampaio e Odorina Castelo
Branco Sampaio.
Formado em Medicina pela antiga Universidade do Distrito Federal. Como Deputado Federal
foi Vice-Presidente da Comissão de Saúde, suplente da Comissão de Constituição e Justiça e
membro da Comissão de Relações Exteriores.
Demais cargos que excerceu:
• Diretor do Hospital e Maternidade São Lucas(Juazeiro do Norte – Ce);
• Médico junto a Delegacia de Saúde Federal – 3a Região no Ceará.
• Prefeito Municipal de Juazeiro do Norte – Ce (1967/1970);
• Secretário de Planejamento do Estado do Ceará (1970);
• Deputado Federal pelo Ceará (1974/1977, 1982/1985, 1986/ 1989, 1990/1993);

 

 

 

 


 

JOSBERTO ROMERO DE BARROS (1971-1975)

Nasceu em Itapipoca, Ceará, a 24 de junho de 1927. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais
pela UFC. Diploma do Curso de Política e Administração Aduaneira – Escola Interamericana de
Administração Pública da Fundação Getúlio Vargas.
Demais cargos que exerceu:
• Fiscal de Tributos Federais, Assessor da Superintendência;
• Secretário do Governo e Administração – Ceará (1962/1963);
• Secretário de Saúde e Assistência (Interino), (1963);
• Secretário da Agricultura e Obras Públicas (Interino), (1963);
• Presidente da Companhia do Desenvolvimento Econômico do Ceará;
• Delegado Federal de Agricultura no Ceará (1979/1985);
• Chefe de Seção de Pesquisa e Orientação da Divisão de Fiscalização da SRRF (1986);
• Chefe do Planejamento Econômico e Programação Financeira da Empresa Mercantil São José
S.A – Ce, Cadeia de Supermercados;
• Jornalista Colaborador do “O Povo”.

 

 


FRANCISCO DE ASSIS ARAÚJO BEZERRA (1975 – 1979)

Nasceu na cidade de Sapé, Paraíba, em 04 de outubro de 1910. Filho de Sinésio Ribeiro de
Araújo Bezerra e Umbelina da Motta Bezerra.
Matriculou-se na Escola Militar de Realengo, em março de 1931. Exerceu vários Comandos,
tendo sido Chefe de Infantaria na Escola Militar de Realengo e da Academia Militar de Agulhas
Negras.
Participou ativamente da Revolução de 1930 como militar, testemunhando a prisão de Juarez
Távora.
Foi transferido para a Reserva do Exército como General.
Criou, organizou e presidiu a Sociedade de Economia Mista Eletro Cariri, na Paraíba. Gerenciou
várias Empresas Privadas. Exerceu ainda o cargo de Chefe do Serviço Estadual de Informações
no governo César Cals de Oliveira Filho.
Agraciado com várias medalhas, dentre elas:
• Bronze, prata e ouro, de bons serviços de guerra;
• Ordem do Mérito Militar;
• Medalha do pacificador;
• Honra ao Mérito da Receita Federal,
• Mérito Legislativo;
• Do Tricentenário da Restauração Pernambucana.

 


OZIAS MONTEIRO RODRIGUES (1979 – 1982)

Nasceu no Estado do Amazonas, em Codajás. Filho de José Alves Rodrigues e Dária Monteiro
Rodrigues. Cursou Ciências Econômicas na Faculdade de Ciências Econômicas da Universidades
do Amazonas.
Exerceu os seguintes cargos de Representação:
• Representante do Governo do Estado do Amazonas no Conselho de Política Fazendária
– CONFAZ (1974/1975 e 1983/1989);
• Representante do Estado do Ceará no Conselho de Política Fazendária – CONFAZ
(1979/1982);
• Membro do Conselho de Administração do Banco do Estado do Ceará S/A (1979/1982);
• Membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico do Estado do Amazonas – CODAM
(1983/1989);
• Membro do Conselho Diretor da Federação Brasileira de Bancos – FEBRABAN (1991/1998).
Cargos Executivos:
• Secretário da Fazenda do Estado do Amazonas (1972/1975 e 1983/1989);
• Secretário da Fazenda do Distrito Federal (1989/1990).

 

 


MUSSA DE JESUS DEMES (1982)

Nasceu em Floriano, Piauí, a 8 de dezembro de 1939. Filho de Jacob Demes e Maria da Paixão
Rego Demes.
Técnico em Contabilidade. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito do Piauí (1958-1962).
Demais cargos que exerceu:
• Agente Fiscal do Imposto de Renda, Ministério da Fazenda (Ceará) (1967/1969);
• Fiscal de Tributos Federais, Ministério da Fazenda (Ceará) (1969);
• Secretário da Fazenda do Estado do Piauí (1983/1985);
• Secretário da Administração do Estado do Piauí (1991/1992);
• Deputado Federal (Constituinte), pelo Estado do Piauí (1987/1991), PFL;
• Deputado Federal (Congresso Revisor) (1991/1995), Piauí, PFL;
• Deputado Federal (1995/1999, 1999/2003, 2003/2007), Piauí, PFL;
• CN – Comissão Mista Dívida Externa: Presidente, PFL (1989/1990), CPI Mista Fuga de Capital
e Evasão de Divisas: Titular, PFL (1989/1990);
• Comissão Mista de Planos, Orçamentários Públicos e Fiscalização: Titular (1992), PFL;
• Membro do Conselho de Administração do Banco do Estado do Ceará S.A (1982/1983);
• Membro do Conselho de Administração do Banco do Estado do Piauí S.A (1983/1985);
Condecorações:
Títulos: Cidadão Honorário de Altos, Nazaré do Piauí, Campo Maior, Francisco Santos, Teresina,
Aroazes e Lagoa de São Francisco, PI; Cidadão Honorário do Estado do Amazonas, 1997. Diplomas:
de Sócio Honorário Desembargador Helvídio Clementino de Aguiar, Associação dos Magistrados
Piauienses. Medalhas: do Pacificador, MEx; do Mérito Renascença, Grã-Cruz, Estado do Piauí; Conselheiro
Saraiva, Grã-Cruz, Prefeitura de Teresina, PI; Piauiense do Mérito Judiciário do Trabalho,
Grã-Cruz. Outras Condecorações: Sócio Benemérito do Centro dos Exportadores do Ceará, Fortaleza

 


 

FIRMO FERNANDES DE CASTRO (1982 – 1985)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 18 de Janeiro de 1944. Filho de Josué Viana de Castro e Maria
Fernandes de Castro.
Formado em Economia pela UFC, com Curso de Especialização em Comércio Exterior, Nova
York – EUA (1970) e Desenvolvimento Econômico – BANDECE, Fortaleza – Ceará (1965). Técnico
em Desenvolvimento Econômico (TDE) do Banco do Nordeste do Brasil S/A-BNB. Professor-
Assistente do Quadro de Pessoal da Universidade Federal do Ceará; Integrante do Quadro
de Professores do Banco do Nordeste do Brasil S/A-BNB; Integrante do Quadro de Professores
do Centro de Treinamento em Desenvolvimento Econômico Regional – CETREDE – Fortaleza.
Consultor da Federação das Indústrias do Estado do Ceará – FIEC.
Demais cargos que exerceu:
• Chefe do Departamento de Análise e Controle do Banco de Desenvolvimento do Ceará -BANDECE,
de 1967 a 1968;
SEFAZ: Tributo à História 205
• Assessor de Planejamento do Banco do Nordeste do Brasil S/A-BNB em 1974;
• Superintendente-Adjunto de Planejamento da SUDENE (1975-1979);
• Secretário da Indústria e Comércio do Estado do Ceará (1979/1980);
• Diretor de Crédito Industrial, Banco do Nordeste do Brasil – Fortaleza (1993/1994).
Experiência Parlamentar:
• Deputado Federal Constituinte (1987/1991), PMDB –Ce.;
• Deputado Federal (1994/1995), PSDB–Ce.;
• Vice-Líder do PMDB;
• Vice-Líder do PSDB.
Obras Publicadas:
• “Um Projeto para o Nordeste”, Fortaleza, BNB, 1989;
• “Em Defesa do FINOR”, Fortaleza, BNB, 1989;
• “Em Defesa do BNB”, Fortaleza, BNB, 1990.
Comenda:
• Agraciado com a Medalha do Mérito Industrial em 1983.

 


 

VLADIMIR SPINELLI (1986 – 1987)

Nasceu na cidade de Itabuna, Bahia, a 26 de agosto de 1947. Filho de Wilson Chagas e Alzira
Costa Spinelli.
Concluiu o curso de Administração de Empresas da UECE em 1980.
Funcionário do Banco do Nordeste do Brasil S/A – BNB desde 1968, ocupando várias funções.
Cargos que ocupou:
• Secretário de Planejamento e Coordenação, Governo Manuel de Castro Filho;
• Presidente do Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia;
• Secretário do Conselho Diretor do POLONORDESTE;
• Presidente do Conselho Deliberativo do Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do
Ceará CEAF-Ce;
• Presidente do Conselho Técnico Administrativo da Comissão Estadual de Planejamento
Agrícola – CEPA;
• Membro e depois Presidente da Comissão de Programação Financeira e Crédito Público do
Ceará – CPFCP;
• Presidente do Conselho de Administração do Banco de Desenvolvimento do Ceará
– BANDECE;
• Presidente do Conselho de Administração da Cia. Cearense de Mineração (CEMINAS);
• Membro do Conselho de Administração da Fundação Estadual do Bem Estar do Menor no
Ceará – FEBEMBE;
• Membro do Conselho de Administração do Banco do Estado do Ceará – BEC;
Trabalho produzido:
• “A Necessidade de Disseminação do Marketing”, 1995.

 


FRANCISCO JOSÉ LIMA MATOS (1987 – 1990)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 16 de abril de 1947. Filho de Joaquim Messias Matos e Maria
José Lima Matos.
Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Ceará. Bacharel em Administração
Pública pela Universidade Estadual do Ceará. Funcionário do BNB, iniciou sua carreira
aos 14 anos, no Curso de Aprendizagem Bancária (CAB), exercendo as funções de Chefe de
Seção, Supervisor de Crédito, Chefe de Setor, Chefe de Divisão e de Departamento.
Membro da Comissão de Consultoria de Mercado de Capitais do Conselho Monetário Nacional
(1981). Presidente do Conselho de Administração do BEC (1988/1990). Diretor Corporativo e de
Desenvolvimento de Negócios à nível de Vice Presidência, no Grupo J. Macedo (1994/1996).
Publicações:
• Reforma Tributária, “A Reação do Governo Federal”
• BEC – Um Banco voltado para Micro empresa, “ O Povo”, 04.10.90;
• Vícios na Administração de um País Continental (publicado na Folha de São Paulo em 19.11.90);
• Corruptos e Corruptores – Jornal Tribuna do Ceará, 12.07.93;
• Ceará – Com medo de Deus – Jornal O Povo, 22.05.93;
• O Futuro do Ceará e a Comunicação – Comemoração Aniversário 65 anos, Jornal O Povo.
Escolhido entre os três melhores Secretários do Ano pelo Comitê de Imprensa da Assembléia
Legislativa (1987, 1988 e 1989).

 


 

BYRON COSTA DE QUEIROZ (1991)

Nasceu em Iracema, Ceará, a 11 de junho de 1947. Filho de Luiz Gonzaga de Queiroz e Maria
Osita Costa de Queiroz.
Administrador de Empresas com especialização em Administração Financeira.
Demais cargos que exerceu:
• Presidente do Banco do Nordeste do Brasil S.A;
• Líder Empresarial – Diretor da Federação das Indústrias do Estado do Ceará;
• Diretor e Vice-Presidente do Centro Industrial do Ceará;
• Secretário de Planejamento do Estado do Ceará no primeiro Governo Tasso Jereissati;
• Secretário da Fazenda no Governo Ciro Gomes.

 

 

 

 

 


 

JOÃO DE CASTRO SILVA (1991 – 1993)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 24 de junho de 1945. Filho de Antônio Alves da Silva e Maria
Nonete de Castro Silva.
Bacharel em Administração de Empresas pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), Doutor
em Administração pela Faculdade da USP (Universidade de São Paulo).
Exerceu o magistério superior na UECE – Escola de Administração,1980. Instituto Municipal
de Ensino Superior, em São Caetano – SP, 1986. Lecionou a disciplina Relações Industriais
no curso de pós-graduação de Engenharia Industrial da Universidade de Fortaleza (UNIFOR).
Lecionou a disciplina Administração de Cargos e Salários, no curso de pós-graduação da Administração
da Universidade Estadual do Ceará – UECE.
Funcionário do Banco do Nordeste do Brasil S/A, participou de vários grupos de trabalho para
modernização da área de pessoal e Recursos Humanos.
Em sua gestão como Secretário da Fazenda foi publicado e lançado o livro: “SEFAZ-CE História”,
de Raimundo Batista Aragão, e instituído o Dia do Servidor Fazendário (28 de setembro).
Trabalhos publicados:
• Dissertação de Mestrado: “Administração de Recursos Humanos: Um Estudo comparativo
entre Bancos Privativos e Bancos Oficiais”.
• “O Perfil da Administração de Recursos Humanos em Bancos de Desenvolvimento da
América Latina”;

 


 

FREDERICO JOSÉ PEREIRA DE CARVALHO (1993 – 1994)

Nasceu em Luzilândia, Piauí, a 31 de maio de 1947. Filho de Francisco Lopes de Carvalho e
Darcy Pereira de Carvalho.
Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará em 1972.
Diretor Administrativo e Financeiro da Secretaria da Fazenda (1987/1990);
Subsecretário da Fazenda do Ceará (1991/1993);
Diretor Geral Adjunto do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS (1995).
Como Secretário da Fazenda do Estado do Ceará implementou o Programa de Qualidade Total
para o órgão.
Funcionário do Banco do Nordeste do Brasil S.A, gerenciou o Departamento de Apoio Logístico,
em abril – junho de 1995, implantando a Central de Apoio Logístico, unidade executora das
atividades administrativas de apoio a todas as outra unidades da Instituição.

 

 

 

 


 

PEDRO BRITO DO NASCIMENTO (1994)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 5 de Abril de 1950.
Cursou Economia na Faculdade de Ciências Econômicas da UFC. Fez mestrado em Administração
Financeira na Universidade Federal do Rio de Janeiro e Curso Intensivo para Administradores,
na Fundação Getúlio Vargas (1972). Participou do XVI Curso Internacional de Mercado
de Capitais, Chicago e Nova York (1997). Técnico do Banco do Nordeste do Brasil.
Cargos que ocupou:
• Ministro da Integração Nacional (2006);
• Diretor do Banco Fibra (1995);
• Presidente do Banco do Estado do Ceará S/A – BEC (1991/1994);
• Superintendente Financeiro do Banco do Nordeste –BNB (1988/1991);
• Chefe do Departamento de Administração Financeira do BNB (1988/1989)
• Superintende Geral da Bolsa de Valores Regional (RN, CE, PI, MA, PA, AM e RR)
Trabalhos Publicados:
• “Introdução à Análise de Carteiras de Investimentos” – Revista Rumos de Desenvolvimento,
Associação Brasileira de Bancos de Desenvolvimento, Ano 4 – n° 24, 1980.
Tese de Mestrado:
• “Fundamentos de Decisões Financeiras de Longo Prazo: Uma análise Retrospectiva”.

 

 


 

EDNILTON GOMES DE SOÁREZ (1995 – 2002)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 27 de dezembro de 1944. Filho de Edilson Brasil Soárez e Nila
Gomes de Soárez.
Graduado em Engenharia Mecânica pela Escola Nacional de Engenharia – Rio de Janeiro,
1964/1968. Master in Business Administration, pela Graduate School of Business Administration
– New York, 1969/1971.
Diretor do Colégio 7 de Setembro desde 1975. Diretor do Sistema Verdes Mares de Comunicação,
(Televisão, Rádio e Jornal), 1982/1990. Diretor Controller do Grupo Edson Queiroz, 1974/1990.
Publicações:
• Tese de Mestrado apresentada à Congregação da New York University, que mereceu nota A (com
distinção) – “Fiscal Incentive Laws em Brazil and Their Impact on the Capital Markets”, 1971.
Outras Informações:
• Os estudos de pós-graduação na New York University foram patrocinados pela Organização
dos Estados Americanos (OEA);
• Presidente do “Christian Children Fund” – para o Brasil. Eleito e empossado em 1985;
• Membro do Conselho de Educação do Ceará, 1992/1994;
• Presidente do Centro Industrial do Ceará – Biênio, 1994/1995;
• Membro Fundador da Associação Cearense de Formação de Governantes;
• Presbítero da Igreja Presbiteriana do Brasil, 1974;
• Coordenador do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) em 1998;
• Presidente do Capítulo 351 da Adhonep, 1993/1998.

 


 

PAULO RUBENS FONTENELE ALBUQUERQUE (2003)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 27 de fevereiro de 1954. Filho de Heitor de Oliveira Albuquerque
e Luce Fontenelle Albuquerque.
Graduado em Economia pela Universidade Federal do Ceará (1976). Mestre em Economia pela
Universidade de São Paulo (1983). Trabalhou no Serviço Público Federal durante 24 anos, em
Brasília-DF, nos Ministérios da Irrigação, dos Transportes e do Planejamento, exercendo, entre
outros, os cargos de Secretário-Executivo do Ministério dos Transportes (1998-2000) e de Secretário
de Orçamento Federal (2000-2002). No Governo do Estado do Ceará, antes de assumir
a SEFAZ, foi Secretário da Infra-Estrutura em 2002.
Dissertação de Mestrado:
• “Os Benefícios sobre a Produção Agropecuária: o Efeito dos Melhoramentos em Estradas
Vicinais”, Instituto de Pesquisas Econômicas-IPE, Faculdade de Economia e Administração-
FEA, Universidade de São Paulo-USP, São Paulo, l983.
Trabalhos Publicados:
• “Metodologia para Avaliação dos Impactos sobre a Produção Agrícola: os Benefícios do
Melhoramento de Estradas Vicinais”, III Seminário de Pesquisa Operacional Aplicada à
Agropecuária, Sociedade Brasileira de Pesquisa Operacional-SOBRAPO, Florianópolis,
1981.
• “Os Benefícios sobre a Produção Agropecuária: o caso de Melhoria no Nível de
Acessibilidade”, IX Encontro Nacional de Economia, Associação Nacional de Cursos de
Pós-Graduação em Economia-anpec, Recife, 1981.
Agraciado com as seguintes comendas e medalhas:
• Grande Oficial da Ordem de Rio Branco (2001), do Ministério das Relações Exteriores
• Comendador da Ordem do Mérito Aeronáutico (2001), do Ministério da Defesa/Comando da
Aeronáutico
• Alta Distinção da Ordem do Mérito Judiciário Militar (2002), do Superior Tribunal Militar
• Medalha do Mérito Mauá/Categoria Cruz Mauá (2002), do Ministério dos Transportes
• Medalha do Mérito Tamandaré (1998), do Ministério da Marinha
• Comendador da Ordem do Rio Branco (1996), do Ministério das Relações Exteriores
• Comenda Ari de Sá Cavalcante (2003), do Conselho Regional de Economia/Ceará

 


 

JOSÉ MARIA MARTINS MENDES (2003)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 28 de dezembro de 1938. Filho de João Ribeiro Mendes Filho e
Adelaide Martins Mendes.
Técnico em contabilidade pela Escola Técnica de Comércio Carlos de Carvalho (1962), em Fortaleza.
Graduado em Ciências Contábeis pela Universidade de Fortaleza – UNIFOR (1976).
Especialista habilitado em perícia contábil, auditor independente credenciado pela Comissão
de Valores Mobiliários e pela Organização das Cooperativas Brasileiras. Administrador provisionado
pelo Ministério do Trabalho, com especialização (Fundação Getúlio Vargas – FGV).
Fundou a M&M Auditores Independentes S/C e a M&M Auditoria e Consultoria Ltda, ambas
com sede em Fortaleza.
Foi professor do Departamento de Contabilidade na UNIFOR (1977-1991) onde exerceu a função
de Coordenador do curso de Ciências Contábeis (1983/1984). Também ocupou o cargo
de Diretor do Centro de Ciências Administrativas (1984/1987) na referida universidade onde
ministrou aula em diversas disciplinas.
Principais cargos exercidos em entidades de classe:
• Presidente da Ordem dos Contadores do Brasil – Secção do Ceará (1982/1983)
• Presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Estado do Ceará em duas gestões
(1984/1985 e 1986/1987)
• Presidente do Conselho Federal de Contabilidade ( 1994/1997)
• Fundador e Presidente da Fundação Brasileira de Contabilidade
• Vice-Presidente do Comitê de Integração Latino Europa América – CILEA (2003/2005)
• Presidente do Comitê de Integração Latino Europa América – CILEA (2006/2007)
Trabalho Publicado:
Livro “Manual de Contabilidade das Cooperativas: Curso Integrado. Adaptado ao sistema de
processamento de dados”, 1986.
Publicações de artigos e ensaios em revistas e periódicos diversos, em nível nacional.
Demais cargos que exerceu:
• Secretário de Finanças do Município de Fortaleza (1997/1998)
• Secretário para Assuntos Municipais do Estado do Ceará (1980)
• Diretor Geral da Secretaria de Agricultura do Estado do Ceará (1971/1975)
Agraciado com as seguintes medalhas e honrarias:
• Medalha Boticário Ferreira, da Câmara de Vereadores de Fortaleza – CE
• Menção Honrosa, conferida pela Câmara Municipal de São José do Rio Preto – SP
• Homenagem Especial (medalha), conferida pelo Conselho Regional de Contabilidade de São
Paulo
• Honra ao Mérito (medalha Reitor Antônio Martins Filho) – Universidade Federal do Ceará
– UFC
• Homenagem (medalha) Mérito Contábil do Ceará, prestada pelo Conselho Regional de
Contabilidade do Estado do Ceará
• Homenagem (medalha) participação honrosa, prestada pelo CONSIGLIO NAZIONALE
DOTTORI COMMERCIALIST (29º Congresso Nazionale LECCE – 1994 – Itália)
• Medalha João Lyra, máxima comenda da classe contábil brasileira
• Medalha “Ordem do Mérito D. Pedro II”, concedida pelo Corpo de Bombeiros Militar do
Estado do Caerá.”

 

 


CARLOS MAURO BENEVIDES FILHO (2007-2013)

Nasceu em Fortaleza, Ceará, a 9 de março de 1959. Filho de Carlos Mauro Benevides e

Regina de Borba Benevides.

Graduado em Economia pela Universidade de Brasília (UnB) e Ph.D na mesma área pela

Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos.

Desde 1985 é professor concursado do departamento de Economia Aplicada e do Curso de

Mestrado e Doutorado em Economia (CAEN) da Universidade Federal do Ceará (UFC)

Na área administrativa exerceu cargos como os de Secretário da Fazenda da Prefeitura

Municipal de Fortaleza, Secretário de Planejamento e Coordenação do Governo do Estado,

Secretário da Casa Civil, Secretário da Administração e Secretário da Fazenda.

De 1990 a 2010 foi eleito – sucessivamente – Deputado Estadual

Em 2007 foi convidado pelo Governador Cid Gomes para gerir a pasta da Secretaria Estadual da Fazenda, sendo reconduzido a

mesma, em 2011, para continuar o trabalho de reduzir a carga tributária incidente sobre a população menos favorecida e elevar a

capacidade de investimento do Estado.

Em janeiro de 2015, sob o comando do Governador eleito, Camilo Santana, reassumiu para uma terceira gestão, a pasta da

Fazenda estadual.

 

Publicações:

Entre seus trabalhos acadêmicos publicados estão:

“Background Familiar e a Distribuição de Renda no Brasil” Revista Econômica do Nordeste, Abril/Junho, vol.18,1987;

“Income Distribuition in Brazil: 1970 – 1980 compared” Vanderbilt University Press, maio de 1985.

Publicou ainda, de 1986 a 2010, livros com a avaliação do processo eleitoral cearense.


 

JOÃO MARCOS MAIA (2013 – 2014)

 

Nasceu em Fortaleza Ceará, a 15 de março de 1956. Filho de Nicásio Fabrício Maia e Maria Carmélia Honório Maia.

Graduado em Administração de Empresas, Especialista em Gerência Geral (UECE). Mestre em Administração. (UECE e Universidade de Coimbra)

 

Cargos Exercidos:

Delegado Regional da Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará;

Diretor de Fiscalização da Sefaz;

Coordenador de Assessoria de Planejamento da Sefaz;

Secretário de Planejamento do Estado do Ceará (1999-2002)

Secretário Executivo da Secretaria do Planejamento e Coordenação (2003-2007)

Secretário Adjunto da Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará (2007-2013)

Secretário da Fazenda do Estado do Ceará (2013-2014)

Secretário Adjunto da Fazenda do Estado do Ceará (2015-2016)

 

Trabalhos Realizados:

Elaboração e Implantação de Planos Estratégicos e Modernização em diversas Secretarias do Estado do Ceará e outros Estados, além de Prefeituras Municipais do Ceará;