PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Engaja Sefaz chega à 3ª edição mobilizando mais de 500 servidores

24 de setembro de 2019 - 16:42

A Secretaria da Fazenda do Ceará (Sefaz-CE) realizou, na manhã desta terça-feira (24/9), no auditório da sede III do Órgão, a terceira edição do Engaja Sejaz, projeto idealizado para fortalecer os laços dos servidores com a Instituição.

A secretária da Fazenda, Fernanda Pacobahyba, e outros gestores apresentaram projetos estratégicos que estão sendo implementados pela atual gestão. A titular da Sefaz-CE ressaltou que o engajamento dos servidores é fundamental para o sucesso da organização. Segundo ela, o corpo funcional precisa ter clareza sobre a importância do trabalho que desempenha.

“Por que fazemos o que fazemos? O Ceará é o quarto estado em situação de extrema pobreza. Isso significa que um milhão de pessoas vivem com menos de R$ 89 reais por mês. Estamos aqui porque acreditamos que servir ao nosso Estado nos dá mais sentido para viver. Não estamos aqui para sermos servidos. Estamos aqui para servir”, afirmou Fernanda Pacobahyba.

Segundo a secretária, as grandes instituições do mundo estão discutindo valores e a Secretaria da Fazenda deve seguir a mesma linha. “A missão da Sefaz de arrecadar recursos para os cofres públicos precisa estar conectada com valores como justiça, respeito, transparência, boa-fé, delicadeza e honestidade. Somos responsáveis por proporcionar os meios materiais necessários à construção de uma sociedade mais justa, menos desigual, em que não exista pobreza”, enfatizou.

Gentilezas

A secretária executiva de Planejamento e Gestão Interna, Sandra Machado, chamou atenção para o Calendário das Gentilezas Fazendárias, iniciativa que propõe ações positivas para cada dia de setembro, mês em que se celebra o Dia do Servidor Fazendário (28/9). Entre as dezenas de boas atitudes estão gestos como elogiar um colega, perdoar alguém, contar uma história engraçada e doar livros.

“A ação do calendário de gentilezas de hoje é compartilhar o conhecimento com um colega. Todos temos algo para trocar. É muito bom ver as pessoas participando deste movimento, ver os aposentados se sentindo parte da instituição. Thomas Morus disse um dia: ‘nenhum homem é uma ilha’ Cada um é um pedaço de um continente. Que o nosso continente Sefaz, imenso de oportunidades seja este lugar bom de conviver, aprender e crescer”, afirmou Sandra Machado.

Projetos estratégicos

O coordenador de Desenvolvimento Institucional e Planejamento (Codip), Auler Gomes, fez uma breve exposição sobre o planejamento estratégico da Secretaria, traçado para o quadriênio 2019 – 2022. Ele chamou atenção para dez projetos estratégicos que estão sendo conduzidos na atual gestão. Entre eles, citou o Domicílio Tributário Eletrônico (DT-e), o Módulo Fiscal Eletrônico (MFE), o Controle de Ação Fiscal Eletrônico (CAF-e), e o Processo Administrativo Eletrônico (PAT-e). “Estamos cheios de novidades”, disse.

A coordenadora da Assessoria de Relações Institucionais (Arins), Germana Belchior, destacou o trabalho que vem sendo realizado na área de comunicação da Sefaz. Ela citou iniciativas inovadoras que foram implementadas neste ano, como a criação de perfis no Instagram, Facebook, Twitter, além de um canal no Youtube.

Outra medida ressaltada pela gestora Germana Belchior foi a implantação de listas de transmissão no Whatsapp para divulgar as ações da Secretaria para o público interno e externo da instituição. “Queremos fortalecer o relacionamento com a sociedade e aproximar a gestão atual dos servidores. Essa construção é coletiva. Trabalhamos a comunicação junto com a educação fiscal. Sempre no sentido de comunicar e educar”, comentou.

Gestão de Riscos

O coordenador da Assessoria de Controle Interno e Ouvidoria, Marcos Saraiva, falou sobre o processo de gestão de riscos que vem sendo implantado na Secretaria desde o começo do ano. “Qual é o principal produto do controle interno? Defender a instituição dos riscos institucionais”, explicou.

Segundo Saraiva, a gestão de riscos consiste em atividades coordenadas para dirigir e controlar uma organização no que se refere a riscos. “Na prática, é identificar incertezas críticas e tratá-las proativamente”, disse. O gestor informou ainda que, após reunião com as equipes das três secretarias executivas (Receita, Tesouro e Planejamento) da Sefaz, foram definidos 51 riscos específicos e um transversal, que estão sendo monitorados.