PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Linguagem simples é tema do 18º Circuito Engaja Cidadão

4 de novembro de 2020 - 16:05 # # # # #

Você já ouviu falar em linguagem simples? Uma comunicação clara, direta e inclusiva se torna cada vez mais necessária para melhorar a experiência dos cidadãos e das cidadãs no acesso aos serviços públicos. Com o tema: “Como a Linguagem Simples contribui para a cidadania fiscal”, a Secretaria da Fazenda do Ceará (Sefaz-CE), por meio do Programa de Educação Fiscal do Ceará (PEF-CE), promoveu, nessa terça-feira (3/11), a 18ª edição do projeto Engaja Cidadão. O evento foi transmitido pelos canais da Secretaria da Fazenda no Instagram (@sefazceara) e no YouTube (Sefaz Ceará).

A live contou com a participação da gestora do PEF-CE, Imaculada Vidal, e da redatora e coordenadora do Projeto de Linguagem Simples do Laboratório de Inovação e Dados – Íris do Governo do Estado, Isabel Lima. O vídeo da conversa está disponível no link: https://www.instagram.com/p/CHJWYAIJ8wE/

Imaculada Vidal iniciou o debate destacando o projeto Circuito Lives Engaja Cidadão, criado, em abril deste ano, como uma alternativa para o período de distanciamento social. O objetivo, segundo ela, foi promover debates voltados para a educação fiscal “Já estamos com quase 20 mil visualizações nessas 18 edições do projeto. Tem sido um espaço de troca de informação e de aprendizado. A educação fiscal é um programa que existe há 22 anos na Sefaz do Ceará. Está presente nas escolas, nas universidades e nas instituições públicas e privadas, sempre buscando discutir importância da tributação e do controle social”, afirmou.

A gestora do PEF-CE ressaltou ainda a importância da linguagem simples para o serviço público e para a sociedade. “É uma forma de refletirmos sobre como o poder público está fazendo essa comunicação, esse diálogo com a sociedade, garantindo maior acessibilidade e inclusão dos cearenses. E a linguagem simples está totalmente relacionada à educação fiscal, pois ajuda o contribuinte compreender os seus direitos e deveres”, observou.

A coordenadora do projeto de Linguagem Simples do Íris, Isabel Lima, explicou que a linguagem simples é uma causa social e uma técnica de redação que garante às pessoas o direito de entender, ao tornar a informação pública mais acessível. “Ou seja: fácil de ler, compreender e usar. Essa técnica pode ajudar o governo a se relacionar melhor com a sociedade”, disse. 

Isabel Lima reforçou ainda que a linguagem simples fortalece a cidadania fiscal e favorece a participação social. “Dados de 2018 do Indicador de Alfabetismo Funcional (Inaf Brasil) revelaram que cerca de três em cada dez brasileiros têm muita dificuldade para fazer uso da leitura e da escrita no cotidiano. Então, com uma comunicação acessível, os cidadãos e as cidadãs compreendem e acessam seus direitos, mas também seus deveres”, declarou. 

A redatora lembrou ainda do trabalho desenvolvido pelo Laboratório Íris, que vem sendo disseminado em todas as secretarias e vinculadas do Estado. “Temos trabalhado para potencializar a linguagem simples no Estado, por meio da simplificação de textos e fluxos de canais de atendimento digitais, documentos jurídicos, textos informativos da Carta de Serviços do Estado e realização de oficinas de inovação em linguagem de governo. Hoje, a experiência do Ceará com a linguagem simples, pioneira no Nordeste, já é reconhecida nacionalmente”, afirmou.

“A Linguagem Simples aplicada em governos é algo revolucionário. A informação é planejada, redigida, revisada e testada considerando as necessidades do cidadão e da cidadã.”, enfatizou Isabel Lima.

Circuito de Lives Engaja Cidadão

Esta foi a 18ª edição do Engaja Cidadão, projeto criado pelo Programa de Educação Fiscal para estes tempos de distanciamento social decorrente da pandemia novo coronavírus. Os vídeos são gravados e ficam à disposição dos usuários dessas redes sociais.

A iniciativa tem o objetivo de promover debates de temas como função social do tributo, orçamento público, educação para a cidadania, papel do servidor cidadão, juventude, protagonismo político, políticas públicas em época de pandemia, entre outros.