PortugueseEnglishSpanish
PortugueseEnglishSpanish

Cira dá início à nova série de audiências para regularizar dívidas fiscais

10 de agosto de 2021 - 19:09 # # #

O Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos do Ceará (Cira), do qual a Secretaria da Fazenda (Sefaz-CE) faz parte, iniciou, nessa segunda-feira (9/8), a terceira série de audiências para regularizar dívidas fiscais de contribuintes considerados devedores contumazes. Nos encontros, por video conferência, são apresentadas as condições para parcelamento ou quitação de dívidas tributárias, com a finalidade de evitar um processo penal.

Foram notificadas 42 empresas de diversos segmentos que devem R$ 71,3 milhões ao Estado, dos quais R$ 56,4 milhões são de débitos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) declarados pelos contribuintes e o restante referente a multas e juros.

Participam dos encontros, que seguem até o dia 20, os integrantes do Grupo Operacional do Cira, formado por representantes da Secretaria da Fazenda do Ceará (Sefaz-CE), do Ministério Público (MPCE), da Procuradoria Geral do Estado (PGE) e da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSPDS).

A secretária da Fazenda, Fernanda Pacobahyba, ressaltou a importância do trabalho conjunto no enfrentamento da sonegação fiscal. “Essa é uma medida muito importante para o Estado. Primeiro, por gerar uma arrecadação, e, mais importante ainda, por buscar a justiça. Esses devedores contumazes geram um grande desequilíbrio no mercado. Eles têm um diferencial competitivo extraordinário e incontornável que é não pagar tributos. Isso é algo inaceitável no nosso sistema. Não podemos compactuar com atitudes nessa medida.”

Desde o início das séries de audiências em 2019, o Cira já conseguiu reaver cerca de R$ 30 milhões aos cofres públicos. Outros R$ 50 milhões serão pagos de forma parcelada.

Crime

O não recolhimento de ICMS declarado pelo contribuinte pode configurar o crime de apropriação indébita tributária, conforme entendimento sedimentado nas cortes superiores, incluindo o Supremo Tribunal Federal (Habeas Corpus n. 163334), ratificado recentemente pelas 1ª e 2ª Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Ceará. 

Sobre o Cira

Criado em 2019, o Comitê tem o objetivo de apurar e reprimir crimes contra a ordem tributária e de lavagem de dinheiro com atuação voltada à adoção de medidas judiciais e administrativas para o aprimoramento das ações e busca da efetividade na recuperação de ativos (dinheiro e bens) de propriedade do Estado.

Além do Grupo Operacional, o Cira também tem um Grupo Diretivo, formado pelas chefias da Sefaz, MPCE, PGE, SSPDS e Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE)